Home

Análise: Gays, líderes de estado “machões”, marcas e cerveja artesanal

Um posicionamento de marca define o compromisso que uma empresa assume consigo mesmo e com todos seus públicos de interesse, sejam eles os consumidores, fornecedores, parceiros de negócio e por aí vai.

Ao proferir em letras falhadas quem lembram graffiti “…estamos em uma missão de fazer outras pessoas tão apaixonadas por cerveja artesanal quanto nós”, a cervejaria escocesa Brewdog assume um discurso que extrapola produzir excelentes cervejas.

Como em qualquer relacionamento de verdade – e não apenas uma empatia meia-boca – devem existir cumplicidade e admiração mútuas, além de consistência e paixão pelo que se acredita, tanto conceitualmente quanto na prática. E em todos esses pontos, a marca Brewdog se mostra imbatível.

Um recente episódio envolvendo o presidente russo Vladmir Putin, ajuda a tangibilizar como essa cultura “punk” consegue ser tão significativa para os consumidores da marca: A polêmica começou quando o líder político, apoiado por uma camada conservadora da população, aprovou ano passado uma lei que proibe manifestações e a “promoção da homossexualidade” no país. O assunto ganhou mais força ainda nos útlimos dias no qual Putin estampa diversas matérias em fotos cavalgando sem camisa ou atirando em animais, declarando ser contra atletas gays nas olimpíadas de inverno de Sochi.

putin_horse

Em resposta a este contexto, a marca lança a cerveja “Hi, my name is Vladimir”, que retrata um Putin digamos, ‘todo produzido’ e ainda arremata a chacota com o slogan “Not for gays”.

brewdog_vladimir2

quenaofaltemalte_vladimir

Veja abaixo trechos da descrição da cerveja no site oficial:

“Hello my name is Vladimir. Sou uma cerveja para homens ultra heteros que montam cavalos sem camisa e carregam facas. Sou uma cerveja para marcar os jogos olímpicos de inverno de 2014. Mas eu não sou para gays. Ama se atracar com homens no judo (Putin é faixa preta) ou pescar de sunga? Esta é a cerveja para você.

A legislação doente e distorcida na Rússia que impede que pessoas vivam suas verdadeiras vidas é algo que não podemos virar as costas e não opinar. Nossas crença centrais incluem liberdade de expressão, de discurso e uma paixão canina (sem trocadilhos) pelo que você ama fazer. Além disso, doaremos 50% dos lucros desta cerveja para instituições que apoiem indivíduos que desejem se expressão livremente sem preconceitos.

brewdog_vladimir3Esta cerveja é uma double IPA feita com ‘Limonnik’. Ouvimos dizer que são ótimas para melhorar a performance sexual, então enviamos algumas caixas para o Kremlin por suspeitarmos que algumas pessoas lá precisariam de uma mãozinha”

brewdog_vladimir4

Não foram apenas as deliciosas e ousadas cervejas Brewdog que os tornaram a cervejaria que mais cresce na Europa.

Nota-se um exemplar trabalho de gestão de marca com sensibilidade para captar oportunidades e reagir rapidamente a elas, expressar seus valores de maneira assertiva e sobretudo, mostrar que a verdadeira cerveja é composta de uma cultura tão rica e agregadora que não há espaço para este ou qualquer outro tipo de preconceitos orbitando a bebida.

Assim como qualquer expressão humana, ela deve ser algo livre da caretice e dos tentáculos cheios de mofo e bolor do conservadorismo.

Confira a página oficial no site da Brewdog

2 pensamentos sobre “Análise: Gays, líderes de estado “machões”, marcas e cerveja artesanal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s